Search Results for “III”

14/01/2012

+Luz.GIF(III)


+Luz.GIF(III)

+Luz.GIF(III)

01/01/2012

Dá-me III


Dá-me III - São Paulo

Tags:
08/05/2013

As rugas de Havana, por Parlá & JR


Me envolvi até o pescoço com o projeto InsideOut que invadiu Nova York neste mês. Virei um voluntário colando os pôsteres no chão da Times Square e tirei várias fotos na cabine que eles instalaram na praça símbolo da cidade – uma delas foi parar no mural vertical que eles ocuparam e outro apareceu na capa do caderno de Artes do NYTimes do sábado. E ontem fui na abertura da exposição “Wrinkles of the City, Havana” do JR com o artista José Parlá, na galeria Bryce Wolkowitz, no Chelsea.

Parlá & JR - Wrinkles of the City, Havana (photo by DavidFisher)

Parlá & JR – Wrinkles of the City, Havana (photo by DavidFisher)

read more »

04/06/2012

Concurso Fotográfico – Floriade Grupo 2


Pelas mensagens que recebi junto com as fotos estou vendo que nossa viagem deixou boas memórias (e boas fotografias) e ajudou a criar novas amizades.
Fico muito feliz com isso e sei que dei o melhor de mim para que vocês pudessem se divertir ao máximo nos dias em que passamos juntos.

Fiquei maravilhada com a viagem principalmente em Keukenhof, pois nunca tinha visto uma variedade tão grande de tulipas.  Cada cantinho preparado com tanto zelo. É realmente encantador !
Adriana Veloso dos Santos

Aqui vão as regras e as fotos do concurso fotográfico da Revista Natureza.

Inesquecível, viajar em grupo uma experiência interessante e a diversidade  das pessoas, paisagens e encantamentos das flores e das velhas culturas troxeram muita riqueza em minha vida.  Obrigada a Editora Europa e todos que estiveram presentes neste momento de minha vida.  carinho a todos
Sueli Penteado

Abraços a todos!

Regras:

  • Cada passageiro pode se inscrever com uma foto, enviando-a para mim até as 23h59 do dia 05/06  (inscrições ENCERRADAS!)
  • Cada passageiro terá direito a UM voto, mas não vale votar na própria foto! Caso isso seja feito o voto será anulado.
  • Os votos poderão ser enviados, através do formulário que estará disponível ao final desta página, entre os dias 08/06 e 20/06. (votação ENCERRADA!)
  • As 5 fotos mais votadas irão para um júri formado pelo Roberto Araújo (Editor da Revista Natureza),  Valério Romahn (Fotógrafo da Revista Natureza), pelo editor da Fotografe Melhor (Sérgio Branco) e por mim, Jaime Scatena.
  • O Juri decidirá a melhor foto dentre as 5, de acordo com critérios próprios. A decisão do Juri é definitiva.
  • A foto campeã receberá um ano de assinatura de qualquer revista da Editora Europa.
  • Os resultados serão apresentados nesta mesma página até o dia 30/06.

A viagem maravilhosa (algo como conto de fadas), os guias surpe bacanas, e a turma muito legal, enfim tudo lindo e maravilhoso, nem o frio, tão pouco a chuva interferiram no bom resultado.
Tereza Jeronimo

E aqui estão as fotos:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Viajar para ver flores e principalmente o Keukenhof, foi um presente de Deus. São imagens que dificilmente se apagarão da memória. Lugares que acredita-se que existem, porque aparecemos nas fotos.
Se o paraíso existe, com certeza é o Keukenhof florido.
Nada do que se escreva aqui irá fazer jus ao que existe lá. Uma beleza ímpar e sem igual.
A viagem toda foi maravilhosa. Com um astral muito bacana, com pequenas coisas que fizeram a diferença e com gratas surpresas, como a de conhecer pessoas tão queridas e prosseguir com essa amizade na volta e ver que os laços se estreitam a cada dia que passa.
Realmente, uma grata surpresa! Pois no mundo onde vivemos sempre tão atarefados e sem tempo para nada, fazer uma amizade de viagem, virar uma amizade virtual e a cada dia que passa perceber que isso está se tornando cada vez mais forte, também é um presente de Deus.
Adorei as fotos e a dificuldade em escolher uma é grande. Parabéns a todos nós!
Márcia Coffy

Miniaturas (clique para ampliar):

A viagem foi inesquecível, o grupo parceiro, as dificuldades bem contornadas … um sonho que se realizou e que deixou um gostinho de quero muuuiiitooooo mais. O mais bacana é que amizades lindas nasceram, estão sendo cultivadas, adubadas e estão florescendo … Todas as fotos estão maravilhosas, cada uma a seu modo retrata a delícia que vivenciamos.
Magda Gavenski 

06/02/2012

Guerra de Torcidas


Guerra de Torcida I, II, III | Padre Miguel | Jaime Scatena

via Guerra Do Saquinho ☛ the war of carry bag ✖ « Multigraphias.

22/09/2010

Bath: os romanos na Inglaterra


No mesmo dia em que estive em Salisbury para conhecer Stonehenge fui para Bath para visitar esta pequena, mas muito bela cidade inglesa. Na verdade não foi a melhor das idéias, já que Bath merece mais tempo para ser devidamente apreciada: não tive muito tempo para conhecer a cidade, tive que acelerar a visita aos banhos romanos e nem tive chance de aproveitar os spas que existem aqui.

Bath: Avon River & Pulteney Bridge

Bath: Rio Avon & Ponte Pulteney

Pelo menos pude dar uma volta pela cidade, conhecer o “Royal Crescent” e o “The Circus“, que são ruas/praças de enorme apelo arquitetônico, projetadas no estilo Neo-Clássico pelos arquitetos, pai e filho, John Wood no séc. XVIII.

Bath: Royal Crescent

Bath: Royal Crescent

Mas a principal atração, e até a razão da fundação da cidade é a existência de uma fonte termal aqui, que atraiu os celtas e depois os romanos, que construíram enormes banhos que acabaram originando a cidade de Aquae Sulis, a predecessora de Bath.

Romans Baths: Pool

A grande piscina dos Banhos Romanos

Bath Abbey

Bath: Abadia

A visita aos Banhos Romanos, localizados bem à frente da abadia da cidade, é um verdadeiro mergulho no passado. A qualidade da exposição toda, o audio guia e o ambiente fazem com que você se sinta como que transportado ao tempo dos romanos.

A entrada custa cerca de £12 (varia de acordo com os meses do ano, mais caro em jul/ago) e inclui o audio guia, em oito línguas (mas não em português). São recomendadas 2h para visitar todo o complexo com calma, tempo que eu realmente não tive. Ainda assim curti muito e recomendo a visita.

Romans Baths: Model

Maquete dos Banhos Romanos

Um amigo meu brasileiro que mora aqui em Londres já me convidou pra voltar a Bath, mas, segundo ele, o ideal é chegar muito cedo e passar todo o dia, inclusive aproveitando os novos e modernos spas que se aproveitam desta fonte termal que fez a fama do local. Bath é um dos Patrimônios Mundiais da Humanidade da UNESCO, tanto pelos banhos quanto pelas atrações arquitetônicas da cidade.

Roman Baths: Façade

A antiga fachada dos Banhos Romanos

30/06/2010

Paris oh là là! – Parte 2


Mais algumas Dicas de Viagem de Paris, na França.
  • Montmratre / Sacré-Coeur: Paris é, em geral, bastante plana – o Arco do Triunfo está no alto dos Champs Elisés, mas a cidade não tem grandes colinas, como Roma ou Lisboa… Só Montmartre mesmo, com a basílica de Sacré-Coeur no alto, que pode ser vista de diversos pontos da cidade. A melhor maneira de chegar lá é pela estação Anvers, da linha 2. Saindo da estação, atravesse o Boulevard de Rochechouart, subindo a base da colina. No meio da subida já dá pra ver a bela basílica ao fundo, entre os prédios.
    Paris, Sacré-Coeur

    Paris, Sacré-Coeur

    Esta primeira vista é realmente marcante! Se você tiver muitos pecados a pagar é só encarar as escadarias e se os pecados forem realmente sujos, vá de joelhos. Mas se você, mesmo com os pecados e mesmo todos mais sujos, tiver seu cartão Paris Visite, gire à esquerda e use o Funiculaire de Montmatre…

    Paris-Sacré-Coeur-Eiffel

    Paris, Eiffel

    O bairro de Montmatre é muito artístico e vale a pena dar uma volta pelas pequenas ruas ao redor da basílica. Para os que gostam de estar nas alturas, a subida à cúpula de Sacré-Coeur é obrigatória, custa 5€ e inclui a visita à cripta sob a basílica. A subida é puxada e começa com uma escadaria fechada, até que se chega no telhado, onde há um trecho aberto para depois se chegar na cúpula, subir mais alguns lances e ser presenteado com a vista lá de cima, que é realmente magnífica!

    Paris-Sacré-Coeur

    Anjo, Sacré-Coeur

    Eu subi perto das 17h30… chegando no telhado os sinos da basílica começaram a tocar, convocando os fiéis para a missa das 18h00…os sinos, ouvidos de perto, com Paris a meus pés, num lindo dia de sol… foi realmente mágico. O interior da basílica, de entrada gratuita, não pode ser fotografado, mas é belíssimo e vale a visita mesmo para os não católicos. Na volta, como a linha 2 circunda a cidade, sem ir na direção do rio, talvez valha a pena descer na direção da estação Barbès-Rochechouart, da linha 4.

  • Notre Dame: A mais tradicional catedral da cidade e a mais impressionante obra gótica religiosa também, a construção fica na Ile de la Cité e a estação mais perto é a de trens (RER, linha B) St Michel, ou a do metró Cité (linha 4). Para visitar a catedral a entrada é gratuíta e para subir nas suas torres (o que eu não fiz) custa 8€. É claro que, como a maioria das atrações de Paris, as filas são gigantescas e não existe visita calma, já que o lugar fica lotado de turistas.

    Notre Dame

    Os enormes vitrais são magníficos – aqui sim, se pode tirar fotos – e o melhor horário para aprecia-los é no final do dia, com o sol batendo diretamente no da direita (pra quem olha o altar de frente). Não deixe de visitar as capelas, também aquelas na parte de trás do altar e tome cuidado, pois esta área fecha perto das 18h00 – eu fiquei maravilhado tirando fotos do vitral e acabei não visitando! Por outro lado, pude ver um pedaço da missa das 18h00, com uma homenagem aos veteranos da guerra e trechos cantados. Muito lindo! Saindo da igreja, passeie pela margem do Sena pela Place Jean XXIII, que tem áreas para crianças, uma bela fonte e até um coreto, onde às vezes artistas locais se apresentam.

    Missa na Catedral

  • Margens do Sena: bem diferente do Tâmisa, em Londres, às margens do Sena são praticamente todas acessíveis e se pode chegar bem perto do rio.

    Margens do Sena

    A explicação desta diferença de uso é que o Tâmisa tem maré: Londres não está muito longe do mar, mas o terreno é muito plano, então as marés oceânicas entram no estuário do rio e seu nível pode variar vários metros num mesmo dia, o que também é muito interessante, diga-se de passagem. O Sena, sendo estável (claro que em épocas de chuvas deve haver variações, mas não como o Tâmisa), permite este uso das margens como parques, todos muitíssimo agradáveis e repletos de locais (e turistas).

    Sena e Notre Dame

    Saindo da Notre Dame, atravesse a Pont de l’Archevéché e desça para a Quai de la Tournelle. Este breve passeio pelas margens, chegando na Pont de Sully é realmente agradável e, em alguns minutos, já se chega ao Instituto do Mundo Árabe, mais uma das belas de arquitetura moderna da capital francesa. Sua fachada, com uma estrutura metálica que lembra, ao mesmo tempo, os arabescos árabes e diafragmas de câmeras fotográficas, é um marco da arquitetura de Jean Nouvel, arquiteto francês que depois deste prédio ficou famoso. Voltando à Pont de Sully, ande até a Ile de St Louis.

    Instituto do Mundo Árabe

  • Ile de St Louis e o delicioso sorvete de Berthillon: esta pequena ilha é muito agradável. E, na rua principal da ilha, Rue St Luis en l’Ile, no número 29-31, tem a famosa sorveteria Berthillon. Na verdade aqui fica a sede principal, mas diversos pontos nesta mesma rua vendem os deliciosos sorvetes e as filas na rua são o sinal de que o sorvete é realmente muito bom, o que estou plenamente de acordo. Nota do tradutor: em francês, não se diz ‘sabores’ de sorvete, mas ‘parfum’… muito peculiar e francês, não acham?

    Sorvetes Berthillon, os melhores!

Próxima parada: Musée D’Orsay, La Défense, uma visita mórbida e boas dicas de restaurantes.

Para ver mais fotos de Paris, visite meu website fotográfico, em Paris << ©JKScatena Photography, ou clique no mosaico abaixo:

Paris: Mosaic

Paris << ©JKScatena Photography

 

 

19/05/2010

Somerset House & Courtauld Gallery


Este palácio, às margens do Tâmisa, no Victoria Embankment, que já foi casa de aristocratas, palácio real, usado pela marinha é hoje um dos mais interessantes centros culturais de Londres.

Somerset House

Somerset House

Seu pátio interno com a enorme fonte de Edward Safra, e que se transforma durante o inverno em um rinque de patinação no gelo, é um ótimo ponto para uma pausa numa tarde de verão.

Somerset House, Strand

Somerset House, Strand

O prédio mais perto do rio – originalmente às margens do Tâmisa – pode ser acessado pelo Embakment, através de um arco que era originalmente usado como entrada de barcos para o prédio. Seu terraço, repleto de mesas e cadeiras, oferece vistas diferentes do rio e dos principais pontos turísticos, como a London Eye e as Houses of Parliament.

Somerset House, Fountain

Somerset House, Fountain

A entrada é gratuita nas galerias deste prédio e visitas guiadas pelo seu interior também gratuitas são oferecidas às quintas-feiras e sábados, em dois horários – 13h15 e 15h15.

No prédio ao norte, com entrada pelo Strand, fica a Courtauld Gallery, com uma coleção de arte bastante diversa, que inclui peças de Botticelli, Cezanne, G. Braque, Kandisnsky, Gauguin, Van Gogh, P. P. Rubens, Degas, Monet, Renoir, C. Pissarro, pratarias inglesas do século XVIII e cassones fiorentinos do século XIV. Uma sala é dedicada à arte sacra, anterior a 1600 e vale a pena  ver as peças de marfim do século XIV, com entalhes e detalhes extremamente delicados.

Coleção de peças de marfim

Coleção de peças de marfim

Talvez a principal obra desta galeria seja “A bar at the Folies-Bergere”, pintada por Manet em 1881-82, que retrata uma garçonete no balcão de um bar, com o ambiente sendo refletido em um enorme espelho às suas costas. Todos os dias há uma pequena palestra sobre uma das obras do museu às 13h15 e no dia da minha visita uma estudante do Courtauld Art Institute falou exatamente sobre este quadro, ressaltando a enorme quantidade de diferentes interpretações que se pode extrair desta bela obra de arte. Estas palestras são gratuitas e a entrada na Galeria também é gratuita todas as segundas-feiras, das 10h00 às 14h00, exceto feriados.

Cristo, por Michelangelo

Cristo, por Michelangelo

Também no dia que visitei pude conhecer a incrível exposição de desenhos de Michelangelo, que apresentava rascunhos, estudos, cartas e poemas deste incrível artista renascentista. A exposição intitulada “O Sonho, de Michelangelo” girava em torno de um desenho específico – e magnífico, diga-se de passagem – que retrata um homem cercado pelos pecados mundanos, sendo acordado e resgatado por um anjo. Poder ver os traços originais de Michelangelo, em carvão sobre papel, com sombras e “sfumatto”; é simplesmente incrível. A exposição terminou no dia 16 de maio.

Caligrafia original de Michelangelo

Caligrafia original de Michelangelo

%d blogueiros gostam disto: