Archive for julho, 2011

31/07/2011

A arte de Duane Michals – Revista Foto Grafia


Conheci o trabalho do Duane há algumas semanas, quando participei da oficina de Residência Artística com o José Spaniol lá no Festival de Arte da Serrinha.

Alice's Mirror, Duane Michals

Alice's Mirror, Duane Michals

O uso que faz dos espelhos e das sequencias fotográficas é muito inteligente e bem resolvido, quase que nos obrigando a continuar olhando para as fotografias infinitamente… Muito bom mesmo.

Achei interessante a biografia dele que achei neste site, da Revista Fotografia:

O fotógrafo americano autodidata, faz uso inovador de foto-seqüências em suas obras, muitas vezes incorporando texto para examinar a emoção e a filosofia.  Ele estudou design gráfico, mas não concluiu o curso porque se apaixonou pela fotografia. Começou como fotógrafo de moda, trabalhando para revistas como Esquire e Vogue, e em pouco tempo se tornou um artista de nível internacional.

Original em seus pensamentos, crenças e na execução de suas imagens, Michals conseguiu criar uma carreira brilhante ignorando – quer dizer, desafiando – os limites estabelecidos. Ele passou a vida re-analisando e re-inventando a própria natureza da fotografia.

Ao invés de descrever as realidades exteriores, Michals virou a câmera e visão para seu interior – enfrentando e tentando descrever as paisagens intangíveis de suas próprias emoções, medos, sonhos e desejos.

As suas obras são desconcertantes, quase surrealistas, utilizando frequentemente jogos de espelhos ou sequências de imagens.

“Eu estou interessado no que acontece quando morremos. Eu não sei como alguém pode estar vivo e não questionar isso. – Eu acho que é uma pergunta muito racional.” – Duane.

via A arte de Duane Michals – Revista Foto Grafia.

The illuminated man, Duane Michals 1968

The illuminated man, Duane Michals 1968

Anúncios
27/07/2011

Não É (Proibido Ser) « MULTIGRAPHIAS


Não É (Proibido Ser)

Não É (Proibido Ser) « MULTIGRAPHIAS.

26/07/2011

Greetings from Neverland « Dreamy Dreamlands


Second to the right and straight on till morning. | Dreamlands (Atibaia) | Jaime Scatena

Second to the right and straight on till morning.

via Greetings from Neverland « Dreamy Dreamlands.

26/07/2011

Weekly photo challenge: Summer Vacation


My submission to CoolPhotoblogs.com‘s weekly photo challenge.
This week’s theme is “Summer Vacation”.

Paris: Nous

Paris: Nous

via ©JKS Photography | Paris.

25/07/2011

Às vezes sinto estar dizendo a mesma coisa. Como que latindo ao vento…<< MULTIGRAPHIAS


Às vezes sinto estar dizendo a mesma coisa. Como que latindo ao vento...

via MULTIGRAPHIAS.

25/07/2011

Dialogando visualmente no Multigraphias


Bela apropriação e diálogo da Gabriela Canale. Vale ver este post do Multigraphias, o primeiro com a entrada dos novos Residentes, recém selecionados.

Bem vindos a todos e Vamos Dialogar!

Em um bar luminoso de Porto Alegre, de Gabriela Canale

Pra se ter uma idéia, a conversa começou com:

 

Don’t really know what to Say Say

 

via What should I say? | Was soll ich sagen? | O que devo dizer? « MULTIGRAPHIAS.

25/07/2011

São Paulo: I just don’t know what to Say Say | ©JKS Photography


I just don’t know what to Say Say

São Paulo: I just don’t know what to Say Say | ©JKS Photography.

22/07/2011

… mas cá com meus botões e o tempo passa. « MULTIGRAPHIAS


Eu, cá com meus olhos, mirando o mundo passar (Mirante)

 

Eu, cá com meus olhos, mirando o mundo passar (Mirante)

 

via … mas cá com meus botões e o tempo passa. « MULTIGRAPHIAS.

21/07/2011

Greetings from Snowville « Dreamy Dreamlands


 

 

 

 

Obrigado por tão belo presente - Arte postal sobre desenho de Emerson Brito

 

Greetings from Snowville « Dreamy Dreamlands.

20/07/2011

Excelente palestra TED sobre Educação e Criatividade


Sir Ken Robinson, na TED 2006

Sir Ken Robinson, PhD is an internationally recognized leader in the development of education, creativity and innovation.

Vou destacar algumas das citações:

If you are not prepared to be wrong, you’ll never come up with anything original.

Se você não está preparado para errar, nunca será capaz de criar nada de original.

Falando sobre a criatividade, advinda da espontaneidade infantil.

Do you think of Sheakspeare being seven? Being sent to bed by his father “Go to bed, now. And put the pencil down, and stop speaking like that. It’s confusing everybody!”

Lembrando que todos nós já fomos crianças… até Sheakspeare.

Sobre sistemas educacionais ao redor do mundo:

Every educational system on earth has the same hierarchy of subjects. At the top are mathematics and languges, then the humanities and on the bottom are the arts.

In the next 30 years, according to UNESCO, more people worldwide will be graduating through education than since the beginning of history.

Sobre inteligência:

We need to radically rethink our view of intelligence. We know three things about intelligence: one, it’s diverse; secondly, intelligence is dynamic; and the third thing is it’s distinct

Sendo filosófico…

“If a tree falls in the forest and nobody hears, did it happen?”

“If a man speaks his mind in the forest and no woman hears him, is he still wrong?”

O filme tem legenda em 50 línguas, é cheio de boas sacadas e muito divertido

20/07/2011

Alone | Só | Solo « MULTIGRAPHIAS


Alone | Só | Solo

Alone | Só | Solo « MULTIGRAPHIAS.

20/07/2011

VerVideo, auto retrato « MULTIGRAPHIAS


Autos Retratos | Atibaia (Milao) | Jaime Scatena

VerVideo, auto retrato « MULTIGRAPHIAS.

19/07/2011

No varal das almas « MULTIGRAPHIAS


No varal das almas « MULTIGRAPHIAS.

Tags: ,
18/07/2011

Città del Vaticano: Ombra


This is my submission to this week’s photo contest at http://www.coolphotoblogs.com

Città del Vaticano: Ombra.

17/07/2011

You better reflect « MULTIGRAPHIAS


You better reflect « MULTIGRAPHIAS.

Reflections over a Reflective Photography | Atibaia | Jaime Scatena

Reflections over a Reflective Photography | Atibaia | Jaime Scatena

16/07/2011

Minha entrevista sobre a exposição “Por Aí”


15/07/2011

Eine Farbe: Weiß « MULTIGRAPHIAS


Brancolandia, em resposta à Branca (ou A cor das coisas).

 

Greetoings from Brancolandia

 

via Eine Farbe: Weiß « MULTIGRAPHIAS.

15/07/2011

Pare e Busque seu Caminho « MULTIGRAPHIAS


Pare e Busque seu Caminho

via Pare e Busque seu Caminho « MULTIGRAPHIAS.

15/07/2011

Contardo Calligaris me dá umas dicas…


O colunista da folha Contardo Calligaris escreveu na Folha de São Paulo de 14/07 um texto que caiu como uma luva para meu momento de vida.

Não que seja surpresa pra ninguém, mas vale repetir: mudar o rumo da vida não é fácil. Tá isso é óbvio, mas meus amigos mais próximos ás vezes esquecem desta simples afirmação, quando me parabenizam pala mudança de rumo que fiz. Talvez seja exatamente por isso, por que acham que já a fiz.

Não… ainda não. Sim, larguei uma carreira de sucesso na Engenharia Civil pelo sonho de ser fotógrafo. Mas o processo de mudança ainda não terminou, é difícil, desafiador e com altos graus de ansiedade envolvidos!

Por outro lado, estou na busca de um desejo pessoal, com surpresas muito boas, descobertas pessoais fascinantes e uma gratificação ao produzir arte que é algo indescritível. Isso por que estou só começando. E, aviso: por mais difícil que seja, eu não vou desistir!

Leia o texto abaixo, que vale muito a pena.

E: não desista dos seus desejos. Ou melhor, não desista dos sonhos… eles são a razão de existirmos.

Cidade Extraída de um Sonho, Ygor Raduy

Cidade Extraída de um Sonho, Ygor Raduy

(Copiei o texto da Folha. Como meu pai é assinante, entendo que é como se tivesse copiado e passado pra amigos, sem quebrar qualquer direito de cópia etc. Tá aqui, aberto, com fonte, nome do autor e tudo!).

CONTARDO CALLIGARIS

Volta da Flip

Qualquer escolha significa desistir de desejos nossos aos quais preferimos outros, também nossos

NA COLUNA da semana passada, escrevi sobre a facilidade com a qual desistimos de nossos desejos e, com isso, às vezes, passamos décadas pensando em outras vidas, que poderiam ter sido as nossas se tivéssemos tido a ousadia de correr atrás do que queremos.

A coluna terminava com uma exortação à coragem de agir e com uma explicação possível: desistimos para evitar a dor de fracassar. Pensar que nem tentamos conseguir o que tanto desejávamos seria menos doloroso do que constatar que tentamos e não conseguimos. A desistência seria mais suportável do que o eventual malogro.

Numerosos leitores me escreveram, evocando (e lamentando) alguma desistência passada. O que não é surpreendente: somos quase todos assombrados pela sensação ou pela lembrança de ter desistido (na escolha de uma profissão, de um amor ou de um casal).

A razão é aparentemente simples. Faz dois séculos que nossa origem não determina nosso destino. Não seremos marceneiros só porque esse foi o ofício de nosso pai e avô. Não nos casaremos por tradição nem segundo a escolha das famílias. Escolheremos sempre por gosto ou por amor. Ou seja, temos a incrível pretensão de viver segundo nosso desejo.

E aqui a coisa se complica, porque, neste mundo sem castas fechadas e com poucas fronteiras, as possibilidades são muitas e, talvez por isso mesmo, os desejos que nos animam são variados e, frequentemente, estão em conflito entre si.

Ou seja, escolhemos entre caminhos diferentes, oferecidos pelas circunstâncias da vida, e também entre desejos que são todos nossos. Qualquer escolha implica perdas (dos caminhos que deixamos de percorrer) e desistências (de desejos nossos aos quais preferimos outros, também nossos).

Um leitor, Augusto Bezerril, pergunta se desistir de um sonho não é apenas o efeito de um conflito. Ele tem razão: em muitos casos, desistimos de um sonho para nos dedicar a outro, esperando resolver assim um conflito interno.

Outra leitora, Ana Chan, pergunta se “desistir dos desejos significa viver em frustração”. Talvez haja algo disso na nossa insatisfação: a variedade de nossos desejos torna a satisfação difícil, se não impossível.

Mas o fato de ter que escolher entre desejos alimenta outra forma de insatisfação: não tanto uma frustração quanto uma espécie de nostalgia do que não foi -um afeto moderno, como é moderna a pluralidade de nossos sonhos.

Alguns dizem que é por isso que a ficção se torna tão importante na modernidade, para que possamos imaginar (e viver um pouco) as vidas das quais desistimos, os caminhos pelos quais não enveredamos.

Agora, a escolha entre desejos diferentes não é a desistência mais custosa: há indivíduos que não desistem de tal ou tal desejo, eles desistem de desejar. Aqui o afeto dominante não é mais a nostalgia, mas uma culpa da qual a gente parece nunca se curar: a culpa de ter traído a nós mesmos, de ter desprezado nosso sonho mais querido. Essa sensação é especialmente forte quando alguém considera que silenciou seu sonho de infância.

Mais uma leitora, Janaina Nascimento, pergunta: “Você nunca desprezou seu próprio desejo?” (e acrescenta: “Acho que você não vai responder”).

Pois bem, desisti de vários desejos a cada encruzilhada, e, às vezes, com a impressão de estar traindo meu maior sonho. Por exemplo -pensava eu, voltando da Flip-, quando sou levado a falar de como me tornei romancista, acabo contando que escrever histórias era tudo o que queria desde os nove anos de idade, mas desisti aos 20, para me conformar à expectativa familiar de que eu fosse para a faculdade. Essa história é verídica e parece ser mesmo uma história de renúncia ou de desistência.

Mas será que é isso mesmo? Será que a gente desiste e renuncia? É possível. Mas a renúncia e a desistência são, antes de mais nada, jeitos melodramáticos de contar nossa história de modo a mantermos a ilusão confortável de que temos uma essência e somos definidos por desejos fundamentais -que (obviamente) não deveríamos trair.

De fato, a vida comporta poucas traições radicais de nós mesmos e de nossos desejos, e muitas soluções negociadas, espúrias, pelas quais a gente busca conciliar desejos diferentes com acasos, oportunidades e outros acidentes, reinventando-se a cada dia.

ccalligari@uol.com.br

@ccalligaris

via Folha de S.Paulo – Contardo Calligaris: Volta da Flip – 14/07/2011.

14/07/2011

Pra ganhar o dia!


Fui visitar minha exposição (Por Aí, no Espaço Revelar, aqui em Atibaia, até dia 07/08), como faço várias vezes por semana. Visitar o filho? É, mais ou menos… como tenho obras coladas na parede, é sempre bom dar uma olhada, recolocar algo que caiu, etc. Sim, cuidar do filho!

Hoje, ao chegar lá, ganhei o dia. Olha que comentário legal que encontrei:

Jaime, teu trabalho dá trabalho.

Costumo dizer que um trabalho é bom quando instiga a algum tipo de criação: dá vontades – de escrever, pensar, trabalhar, rever e redescobrir.

Você é dinâmico e tá de olho em tudo. Cada vez que se olha um dos trabalhos ao retomar se descobre outras coisas.

As legendas são inteligentes!

E o trabalho “Mr. Scatena” é uma cinta de Moebius que você faz com outras imagens: tem muitas torcidas, tira muitos partidos.

Parabéns,

Maria Regina

To Mr. Scatena – Greetings From (Por Aí)

To Mr. Scatena – Greetings From (Por Aí)

Agora pra você, Maria Regina, minha resposta:

Gostei muito do que você escreveu, pois mostra que você entendeu plenamente o objetivo da mostra Por Aí: fazer pensar.

Não queria apenas contemplação das minhas imagens. Queria envolvimento – a busca das mensagens escondidas, dos jogos de palavras nas legendas, dos diversos níveis de leitura das imagens.

Quero que o observador se perca e se encontre, indo e voltando, vendo e lendo, exatamente como você descreve. Dando voltas nesta cinta infinita que se torce sobre si própria.

Muito obrigado, querida.

14/07/2011

Editais voltados ao setor fotográfico são anunciados pelo MinC | RPCFB


Na última sexta-feira, 8 de julho, estiveram reunidos em Belo Horizonte representantes da cultura mineira. Entre eles, o membro da RPCFB, Eugenio Sávio, o presidente da FUNARTE, Antonio Grassi, e o secretário executivo do MinC, Vitor Ortiz.

Grassi deu sinal positivo à demanda da Rede: neste mês, dentre os vários editais para as artes visuais, serão lançados dois específicos para o setor fotográfico. São eles o Marc Ferrez, voltado à produção e reflexão sobre a fotografia, e o edital para Apoio aos Festivais e Encontros de Fotografia no Brasil, totalizando R$ 3,5 milhões para o setor.

via Editais voltados ao setor fotográfico são anunciados pelo MinC | RPCFB.

14/07/2011

Greetings from Staintown « Dreamy Dreamlands


Greetings from Staintown « Dreamy Dreamlands.

Welcome to Staintown

After the murder of Archbishop at the cathedral in 1170, Staintown became one of the most notable towns in the world, as pilgrims from all parts came to visit the shrine.

14/07/2011

a Fotografia e o Tempo « MULTIGRAPHIAS


a Fotografia e o Tempo « MULTIGRAPHIAS.

 

duas fotografias em um tempo

duas fotografias em um tempo

13/07/2011

MULTIGRAPHIA DE JORNAL « MULTIGRAPHIAS


Tristan Tzara’s Multigraphy

E a culpa, de quem é? - Tristan Tzara’s Multigraphy

via MULTIGRAPHIA DE JORNAL « MULTIGRAPHIAS.

Based on the cover art of DifferentialsPoetryPoeticsPedagogy“, a book by Marjorie Perloff.

12/07/2011

A corda uma cordinha assim… as ‘foto’ um tantão assim!


2º Varal Fotográfico do Clube Atibaiense de Fotografia

2º Varal Fotográfico do Clube Atibaiense de Fotografia

Dia: 17/07/2011

Horário: 14h às 17h,

Local: Centro de Convenções Vitor Brecheret (mapa).

12/07/2011

Conto Postal #1, Sem Título


Conto Postal #1 A

Enfim havia chegado lá. Que bom!

Enfim havia chegado lá. Que bom!

Nem o passado nem o futuro importavam mais agora que havia chegado lá. Estava aliviado.

A viagem havia sido longa, longuíssima, cansativa, extenuante. Infinita.

Mas, enfim, havia chegado lá!

Conto Postal #1 B-C

Cheguei onde me hospedaria e lá me instalei. | Utopia, 1º de Abril, 1930

Cheguei onde me hospedaria e me instalei. Foi rápido, mais simples que a longa viagem.

Saí andando pela cidade para conhecer tudo aquilo que havua naquele lugar fantástico, maravilhoso, cheio de experiênicas e prazeres, de coisas bacanas, tudo novo, surpreendente e fascinante que inundava todo o meu ser. Me completava, mas faltava algo. Precisava mandar-lhe uma carta!

Utopia, 1º de Abri, 1930.
Minha querida,
Não sabes a falta que me faz. ainda que tenha experimentado coisas antes impensáveis, visto coisas antes invisíveis, passeando por passos não caminhados, ainda assim me falta você.
Para Aquela que tanto Am♥ Casa 2, Vila dos Ausentes
Caprocó/LA 01010-101
Conto Postal #1 D

Mas o tempo não dá trégua

Mas o tempo não dá trégua, passa como um foguete, na velocidade tempo da luz.

Já era hora de voltar. Que pena.

Aprontei as malas, juntei todos os souvenires, empilhei as memórias e arquivei sentimentos. de bilhete na mão parti sabendo que dificilmente voltaria.

Em Fim…

Conto Postal #1, Sem Título, São Paulo/2011

11/07/2011

Resultado da seleção de Residência Artística (Jul/11) « MULTIGRAPHIAS


O Multigraphias agradece a todos que se inscreveram. Recebemos muitas propostas interessantes de diversos lugares do Brasil e do mundo.

*For English, check out here*

Uma comissão de residentes – Gabriela Canale, Jaime Scatena e Ygor Raduy – selecionou os artistas cujos trabalhos mais dialogam com os conceitos do projeto, no que se refere à arte colaborativa e/ou nas temáticas sobre a cidade.

Foram avaliadas também a potência crítica e criativa dos participantes.

via Resultado da seleção de Residência Artística (Jul/11) « MULTIGRAPHIAS.

11/07/2011

Conto Postal #1


Conto Postal #1 @ MULTIGRAPHIAS.

De Utopia para Caprocó

11/07/2011

Greetings from Vertigo « Dreamy Dreamlands


 

 

 

Greetings from Vertigo

 

 

Greetings from Vertigo « Dreamy Dreamlands.

Tags: ,
10/07/2011

Modos de Ver | Proximidade | Distância: estudos. « MULTIGRAPHIAS


Modos de Ver | Proximidade | Distância: estudos. « MULTIGRAPHIAS.

Agradeço às graças alcançadas

 

10/07/2011

London: Royal Festival Hall, fountain | ©JKS Photography


London: Royal Festival Hall, fountain | ©JKS Photography.

This is the picture I’ve submitted to this week Photo Challenge at Photoblogs.com. This week’s theme is “Get Wet!”

How do you like it?

05/07/2011

Greetings from Eggtown « Dreamy Dreamlands


Welcome to Eggtown:  Kinda weird, ain’t it? Sittin’ on porches, drinking coffee out of mugs?

Welcome to Eggtown

Kinda weird, ain’t it? Sittin’ on porches, drinking coffee out of mugs?

via Greetings from Eggtown « Dreamy Dreamlands.

Tags: ,
04/07/2011

New York: Freedom (Liberty) Lady | ©JKS Photography


The Statue of Liberty Enlightening the World was a gift of friendship from the people of France to the people of the United States and is a universal symbol of freedom and democracy.

via New York: Freedom (Liberty) Lady | ©JKS Photography.

04/07/2011

Greetings from Twin Peaks « Dreamy Dreamlands


Greetings from Twin Peaks « Dreamy Dreamlands.

Welcome to Twin Peaks:  Every day, once a day, give yourself a present. Don’t plan it. Don’t wait for it. Just let it happen.

Welcome to Twin Peaks: Every day, once a day, give yourself a present. Don’t plan it. Don’t wait for it. Just let it happen.

04/07/2011

Greetings from Freeland « Dreamy Dreamlands


Greetings from Freeland

“Our home is here, and we build our work here.”

“Our home is here, and we build our work here.”

via Greetings from Freeland « Dreamy Dreamlands.

04/07/2011

MULTIGRAPHIAS


 

Ver x Olhar - Atibaia

 

Ver x Olhar – Atibaia

via MULTIGRAPHIAS.

04/07/2011

Greetings from Dogville « Dreamy Dreamlands


Greetings from Dogville « Dreamy Dreamlands.

Welcome to Dogville:  The residents of Dogville were good honest folks, and they liked their township.

Welcome to Dogville: The residents of Dogville were good honest folks, and they liked their township.

%d blogueiros gostam disto: