Posts tagged ‘MIS’

08/02/2011

São Paulo Retratos: Dicas rápidas para um bom Retrato – I


A palestra do fotógrafo britânico David Graham, parte do Workshop São Paulo Retratos, que aconteceu nos dias 4 a 6 de fevereiro em São Paulo estava recheada de dicas de como fazer um bom retrato. David apresentou, entre as dicas, diversos exemplos de retratos que ele fez nos últimos 7 anos, quando, após um grave acidente que deixou seu filho tetraplégico, ele “entrou’ para a fotografia.

David Graham dá suas dicas

David Graham dá suas dicas

Vou resumir algumas das dicas aqui, completando com comentários meus.

A abertura da palestra já deu o tom, do que é um retrato, quando ele cita um dos mestres desta arte fotográfica:

Um retrato é uma foto de alguém que sabe que esta sendo fotografado

Richard Avedon

É realmente uma afirmação importante e que acaba com aquela idéia de “roubar retratos”. Fora que, para a utilização comercial de qualquer foto na qual o tema central seja uma pessoa, identificável, é indispensável a autorização de uso da foto.

Câmeras e técnica:

  • Conheça sua câmera: essa é básica. Você deve conhecer seu equipamento, suas capacidades e limitações. David recomenda equipamentos Sony, Canon e Nikon. E sempre usa foco automático e leitura de luz “all over”, dizendo que você deve se preocupar com a montagem da foto e não com pequenos detalhes como estes. Ele também usa ISO automática…
  • Fotografe com a mais alta qualidade: quanto maior a qualidade da foto – e isso é influenciado por diversos parâmetros, como a qualidade da câmera (5Mp, 10Mp, 12 Mp etc), ISO (quanto menor, menos granulada fica a foto) e  profundidade de campo – maior é a qualidade do material impresso. Fotografar no formato “bruto”/RAW sempre proporcionará melhor qualidade final, já que os arquivos JPG/JPEG já embutem uma compactação que leva à perda da qualidade da foto cada vez que ela é salva neste formato.
  • O foco deve ser nos olhos
  • Faça muitas fotos, em sequência – fotografe em modo contínuo, se sua máquina tiver este modo – assim você garante, ao menos, uma foto boa. E escapa dos “piscadores”…
  • David sugere usar baixa profundidade de campo (f/4 ou menor), pois gosta de destacar o retratado do fundo. Ele chegou a fazer várias séries na Índia, para onde levou um fundo neutro, branco. A baixa profundidade de campo desfoca o fundo, destacando o objeto em foco.
Fotografia: Profundidade de Campo

A "baixa" profundidade de campo (f/5.6) desfoca o fundo, destacando o objeto

  • Outra sugestão é usar lentes de 50 a 105 mm, mas a dica principal é considerar que lentes estabelecem a distância que você pode ficar do seu modelo e também se haverá distorção ou não. Neste quesito a melhor é a lente de 50mm, que tem a distância focal mais semelhante à do olho humano, com pouca distorção.

Fundos (Background)

  • Quanto mais neutro melhor – paredes, portas, céu etc. Assim a atenção recai no retratado, sem a distração do fundo. A técnica de baixar a profundidade de campo também ajuda.
  • Um fundo que combine com o seu retratado sempre ajuda. Uma pessoa com roupas azuis ficará mais interessante em um fundo da mesma cor do que outro, verde, por exemplo. Detalhes do retratado (olhos azuis, por exemplo) também podem ser combinados com o fundo, para destacar este detalhe.
  • Use um fundo neutro principalmente na área da cabeça do seu modelo

Iluminação (Light)

  • A melhor luz é a natural: fuja da luz do meio dia e do flash. Em ambos os casos a luz é muito dura e causa sombras com contraste demais. Um pouco de flash de preenchimento pode ser usado, mas lembre-se de “enfraquecer” o flash em alguns pontos – a maior parte das máquinas com flash embutido tem esta configuração, mas muitos nem sabem ou esquecem disso.
  • Luz lateral é mais dramática e interessante: uma janela ou porta aberta, ou ainda uma lâmpada acesa.
  • Um dia nublado é horrível para fotos de paisagens, mas é excelente para retratos.
  • Cuidado  com a luz direta no rosto do seu modelo, pois fará com que ele feche os olhos.

Vale lembrar que o conhecimento de regras é importante para saber o momento em que se pode quebrar esta regra. Fotos na praia: o sol forte tem que estar presente. Um fundo interessante que tem tudo a ver com seu modelo não precisa ser desfocado. Retratos em festas e “baladas” podem ficar mais interessantes com um flash forte. E assim por diante…

Aguardem mais dicas nos próximos dias e não deixem de ver os retratos que fiz para este projeto de São Paulo, clicando em: ©JKS Photography >> São Paulo.

Anúncios
07/02/2011

São Paulo Retratos: a personalidade única dos Paulistanos


O projeto São Paulo Retratos, trazido ao Brasil pela Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, pelo MIS – Museu da Imagem e do Som e pela WPO – World Photography Organization, tem como objetivo em produzir grandes retratos que irão expressar a personalidade única dos habitantes da cidade, em uma mostra específica que será aberta no dia 20 de Março, no MIS.

São Paulo Retratos 2011: Douglas Galluchi

Depois de uma palestra com o fotógrafo inglês David Graham, que apresentou uma série de dicas de como fazer um bom retrato, cerca de 100 fotógrafos – de todos os níveis e de várias cidades do país – rodaram a cidade neste final de semana para retratar o Cidadão Paulistano, os moradores da maior cidade brasileira, esta cidade multicultural, multirracial, múltipla em tantas dimensões. A tarefa era trazer de volta 20 imagens, quantia que seria reduzida a 10 e finalmente a somente 2 por participante, estas duas fotos farão parte da exposição e concorrendo a um prêmio patrocinado pela Sony.

Desde a inscrição no workshop eu já planejava registrar os profissionais que trabalham no Mercado Municipal de São Paulo e foi o que fiz, adicionando posteriormente trabalhadores de uma feira livre, aqui em Santa Cecília, zona central.

São Paulo Retratos 2011: Eronides BomfimRetrato é meu ponto mais fraco como fotógrafo, principalmente pela dificuldade de abordar desconhecidos na rua e pedir-lhes para fazer um retrato. Me surpreendi posteriormente com o quão fácil foi cumprir esta tarefa. Consegui fazer 28 fotos, todas devidamente autorizadas, além de ter recebido muitos outros “nãos” no processo… o que não doeu nada.

Por outro lado, percebi que esta minha apreensão atrapalhou na minha direção dos retratados. Tive dificuldades em fazer retratos mais “criativos”, e acabei com uma série com poses muito parecidas.

Ainda assim, como registro deste público – trabalhadores de feiras e mercados – considero que o conjunto seja muito bonito e interessante pela própria simplicidade.

Não foi muito fácil selecionar as 10 e muito menos nas últimas duas (estas em destaque aqui no texto), mas estas me agradam por mostrarem um pouco da personalidade do retratado.

As minhas 10 fotos selecionadas estão no meu foto site, ©JKS Photography >> São Paulo Portraits.

Você que participou do workshop e queira divulgar suas fotos, deixe um comentário aqui abaixo com o link do seu álbum.

%d blogueiros gostam disto: