Posts tagged ‘Bicicleta’

27/10/2010

Dois museus em Amsterdam


Uma visita rápida a museus de Amsterdam (originalmente publicado em 2009, com comentários atualizados)

Minha estada em Amsterdã – decidi voltar a esta cidade que adorei por causa do show do U2 –  foi muito rápida, mas tive tempo de conhecer dois museus que não tinha visitado: a casa de Rembrandt (meu pintor favorito) e o novíssimo Hermitage, filial holandesa do famoso museu russo. Alem de breves passeios pelos encantadores canais desta incrível cidade.

Atualmente Em agosto de 2009 o Museu da Casa de Rembrandt (Rembrandthuis) está estava exibindo o trabalho de Jan Lievens, um amigo de Rembrandt de sua fase inicial em Leiden, cidade onde ambos nasceram e iniciaram suas carreiras. Se separaram quando Lievens mudou-se para Londres e Rembrandt para Amsterdã, mas continuaram amigos por toda a vida.

Amsterdam: Rembrandthuis

Fachada do Rembrandthuis - o predio da direita Žé a casa original

O que mais me interessava é a propria casa de Rembrandt, decorada exatamente como na época em que ele viveu la (1639-58), antes de “falir” financeiramente. Os móveis são originais, de seu inventário de falência, e cada ambiente foi recriado permitindo que se conheça um pouco mais do ambiente em que ele viveu e trabalhou.

O custo da entrada inclui o áudio-guia que explica todos os ambientes e tambem o contexto das obras expostas, além do trabalho de Jan Lievens. Os principais trabalhos de Rembrandt aqui expostos são os desenhos com a técnica de agua-forte (etching), com poucas pinturas, estas no Rijiksmuseum – atualmente parcialmente fechado para reforma (que durará até 2019).

Amsterdam: Rijiksmuseum Facade

Amsterdam: Rijiksmuseum Facade

O Rijiksmuseum está apenas com a exibição de suas principais obras-primas (Masterpieces), entre elas o imenso (4 m x 3 m, uma parede inteira!) “Ronda Noturna” (Night Watch) de Rembrandt, que por si só já valeu a minha visita do ano passado. Clique aqui para ver uma imagem deste belo quadro.

O novissimo Hermitage, fruto de uma parceria cultural da Rússia com a Holanda, foi a maneira encontrada pelo museu russo de conseguir exibir itens de seu acervo que não são geralmente expostos por falta de espaço na já gigantesca sede de São Petesburgo. O edifício holandês, as margens de um canal, é claro, conta com um lindo jardim interno que pode ser visitado sem necessidade de ingresso, bem como um deck/pier no canal.

Amsterdam: Hermitage Museum

Jardins do Hermitage

A exposição atual de inauguração do museu é era sobre a cultura russa na época dos czares – “Na Corte Russa“, contada por meio de roupas e objetos. E um enorme fashion show! Uma das alas recria uma recepção “real”, com os trajes de gala dos personagens do mais alto escalao da sociedade, além do lindíssimo trono real – com cabeças de águia no lugar dos braços e patas de leão nos pés, inteiro dourado.

A outra ala recria um salão de baile, que ganha vida a cada meia hora, com os manequins “girando” sobre plataformas, música e filmes projetados nas paredes.

Outras exposições complementares mostram objetos da vida cotidiana no palácio: a caça, brinquedos, jogos, teatro, fumo, banquetes, vida íntima, joias e condecorações. Este museu, definitivamente, vale o ingresso.

 

Amsterdam: Tram @ Reguliersbreestraat

Tram @ Reguliersbreestraat

E circular pela cidade em seus agradáveis trams (bondes) – na minha opiniao a melhor maneira de se locomover – ficou mais fácil agora que os anúncios das paradas ganharam também uma versão em inglês após o difícil anúncio em holandês.

Amsterdam: Canal

Passeando pelos canais da cidade

Ainda não tive a oportunidade de passear de bicicleta pela cidade – esta sim a maneira mais típica e tradicional – mas vai ficar para a próxima visita. Aliás, é mais um motivo para voltar a Amsterdã!

Amsterdam: Bike Panning

Andar de bicicleta fica pra próxima!

Originalmente publicado no Blog Panrotas em Viagem, em 02/08/2009:

Veja mais fotos de Amsterdam, no photo.jkscatena.com, clicando no mosaico abaixo:
Amsterdam Collage

Amsterdam @ photo.jkscatena.com

Anúncios
10/07/2010

Berlim de bicicleta


Bike! Unter den Linden

Bikes! Unter den Linden

Sim, apesar da maior fama de cidade de bicicletas ser de Amsterdã, mesmo os holandeses gostam mais de pedalar em Berlim – enquanto a cidade holandesa é compacta e bastante movimentada, a alemã é também movimentada, mas muito ampla, com grandes avenidas, ciclovias e praças, além do trânsito organizado (german style), o que facilita muito o passeio. E não só o lazer, pois muitos berlinenses usam “a magrela” para se locomoverem praticamente de graça, por esta linda cidade europeia, tanto durante o dia, para trabalhar, quanto à noite, para sair para bares e “baladas”. Praticamente de graça? Sim, pois se quiser carregá-la nos trams (bondes) e no metrô é preciso um bilhete adicional. Fora isso, pedalar só vai custar umas calorias a menos.

De bike no Metrô

De bike no Metrô

Passando de bike numa parte preservada do Muro

Passando de bike numa parte preservada do Muro

Bikes da DB

Bikes da DB

Para mim foi uma grata surpresa, pois adoro pedalar, mas só conhecia esta fama de Amsterdã.

Consegui uma bicicleta emprestada (mas também é muito fácil alugar – até a empresa de trens DB, tem seu serviço de call-a-bike, o que também já existe nas estações de metrô em São Paulo, vale lembrar), um bom mapa da cidade, meus ipod e óculos escuros, reservei um bom fôlego e sai para um city-bike- tour.

Bike no Portão de Brandemburgo

Bike no Portão de Brandemburgo

No lado oriental (mesmo com a reunificação, ainda existe esta referência) é preciso cuidado e atenção redobrados, pois a roda da bicicleta encaixa direitinho nos trilhos dos bondes – que praticamente só existem deste lado da cidade – e aí o tombo é certo! Também vi alguns causados por celulares… não dirija e fale ao celular ao mesmo tempo.

Fora isso é só seguir as ciclovias, existentes nas principais avenidas, todas bem sinalizadas, e guiar como se fosse um veículo (afinal é um!), parando nos sinais/semáforos/faróis, dando a preferência aos pedestres – algumas ciclovias são nas calçadas – e tomando muito cuidado com os outros ciclistas, afinal são muitos: jovens e idosos, homens e mulheres, trabalhadores e executivos, pais com crianças na garupa e, é claro, grupos de turistas.

Um passeio divertido, saudável e barato. Aproveitem!

Jaime Scatena
Engenheiro, fotógrafo, especial para o Blog PANROTAS Em Viagem

Originalmente publicado no Blog Panrotas em Viagem, em 11/07/2009:

http://blog.panrotas.com.br/panrotasemviagem/index.php/2009/07/11/berlim-de-bicicleta/

%d blogueiros gostam disto: